Seja muito bem-vindo!

A clínica Lazzarotto Moutinho e Souza trabalha há anos no tratamento para obesidade. Seu fundador, Dr. Lazzarotto modificou uma técnica denominada By-Pass intestinal e já operou mais 5.000 pacientes em sua história.

Conheça a técnica


LiveZilla Live Help
 

Conheça nosso novo chat!

Clique no botão ao lado para iniciar o chat. Nossos consultores terão o maior prazer em atendê-lo (la) e tirar todas as suas dúvidas.

Cirurgias para obesidade


Existem várias técnicas de cirurgia para o tratamento da obesidade. Listamos algumas das principais abaixo para que você possa avaliar e escolher com segurança aquela que julgar mais adequada ao seu perfil.
*Clique nas abas para navegar.

ByPass



Técnica Lazzarotto e Souza

O Bypass Intestinal é uma técnica que foi idealizada e desenvolvida pelo médico paranaense José Lazzarotto de Melo e Souza para o controle da obesidade. A técnica Lazzarotto & Souza não corta uma porção do estômago, apenas modifica o trajeto do alimento no intestino delgado criando dois caminhos.

O primeiro caminho é mais estreito (restritivo) e ocasiona uma diminuição da entrada dos alimentos naquela região. Já o segundo é mais largo e, como um atalho, facilita a passagem de mais alimentos do jejuno (porção do intestino delgado) ao íleo. O alimento que segue pelo caminho mais estreito é totalmente absorvido para complementar as necessidades de sais minerais, vitaminas e nutrientes para as células, e o que segue pelo caminho mais largo atinge o intestino grosso mais rapidamente, desencadeando assim a perda de peso.



Scott



Técnica SCOTT

A cirurgia disabsortiva de Scott consiste em fazer anastomose termino-terminal do jejuno proximal ao íleo terminal. O segmento disabsortivo fica dentro da cavidade abdominal sendo a parte proximal fechada, lembrando a cirurgia de Payne e a porção distal é anastomosada na junção reto-sigmoide.

Grande parte do intestino delgado, jejuno e íleo ficam totalmente disabsortivas. Suas complicações são semelhantes à cirurgia de Payne como diarréia, desnutrição e hepatopatias. A cirurgia de Scott foi 24 desaconselhada pela Sociedade de Cirurgia Bariátrica dos Estados Unidos e pelo Conselho Federal de Medicina do Brasil.

Essa técnica não preenche as normas preconizadas pela cirurgia ideal, segundo Dr. Aniceto Baltasar C.V., Alcoy-Espanha. Ela é 100% reversível em caso de complicações.



Scopinaro



Técnica Scopinaro

Grande parte do estômago é retirado, 2/3 a 2/5 da parte inferior e média gástrica.  É realizado um longo isolamento do intestino. O duodeno e a maior parte do jejuno e parte do íleo ficam isolados do trânsito principal, provocando assim uma baixa absorção de açúcares e gordura. Faz uma anastomose (união cirúrgica) de 250 cm da porção do íleo ao estômago, dos quais 200 cm são de alça alimentar (alça alimentar é o segmento do intestino que conduz o alimento do estômago até atingir a entrada da alça por onde flui a bile e as secreções do pâncreas,  duodeno e parte do jejuno-íleo isolados) e 50 cm de alça comum (alça comum é o segmento final do intestino delgado onde se unem os nutrientes vindos do estômago e as secreções da alça isolada). A maior parte do intestino delgado fica totalmente isolada do trânsito principal não dando passagem para os alimentos.



Marceau-Hess



Técnica Marceau-Hess

A técnica de Marceau-Hess – Duodenal Switch – segue princípios que lembram a cirurgia de Scopinaro, com algumas diferenças: em vez de cortar o estômago transversalmente, ele é cortado longitudinalmente preservando o piloro (válvula na saída do estômago). Ela isola o duodeno, a maior parte do jejuno e parte do íleo e deixa de alça alimentar simples, gastro-jejunal com 1,50m de íleo e 1,00m de íleo terminal como alça alimentar comum. Esta cirurgia tem as mesmas complicações da cirurgia de Scopinaro, porém em menor intensidade porque preserva a saída do estômago.

Essa técnica não preenche as normas preconizadas pela cirurgia ideal, segundo Dr. Aniceto Baltasar C.V., Alcoy-Espanha. Ela é 100% reversível em caso de complicações.



Fobi-Capela



Técnica Fobi-Capela

A cirurgia de Fobi-Capela é uma cirurgia muito restritiva dos alimentos no estômago e pouco menos disabsortiva no intestino, isolando todo o duodeno e boa parte do intestino delgado. Restritiva porque restringe o estômago de 1500ml para 30 a 50ml (2 a 3,2% do seu tamanho), deixando-o equivalente ao tamanho de um copo de cafezinho. Fica isolado sem função mais ou menos 97% do estômago.  É chamada bypass gástrico, popularmente denominada  cirurgia do “grampo” e do “anel”. Pode ser com ou sem anel de contensão em torno do pequeno estômago.

Essa técnica não preenche as normas preconizadas pela cirurgia ideal, segundo Dr. Aniceto Baltasar C.V., Alcoy-Espanha. Ela é 100% reversível em caso de complicações.



Wittgrove



Técnica Wittgrove & Clark

Esta é uma técnica mista. Deixa uma câmara gástrica similar ao de Fobi-Capela de mais ou menos 30ml, porém mais arredondada. Isola todo o estômago, parte do jejuno e parte do íleo. Deixa com alça alimentar simples gastro-jejunal de 1m e alça alimentar comum de 40 cm. Seus resultados e complicações são muito próximos da cirurgia de Fobi-Capella.

Essa técnica não preenche as normas preconizadas pela cirurgia ideal, segundo Dr. Aniceto Baltasar C.V., Alcoy-Espanha. Ela é 100% reversível em caso de complicações.



Existem dezenas de técnicas de cirurgia para emagrecimento. Estas acima foram citadas por serem as mais utilizadas.


Quer informações detalhadas?

Clique no botão abaixo para fazer o download do manual completo das cirurgias mais frequentes para obesidade e também a relação de exames pré e pós-operatórios.

Fazer Download do Manual

Clique nos botões abaixo para fazer o download da Relação de Exames.

Exames pré-operatórios Exames pós-operatórios